Protocolo MQTT: Fundamentos de sua arquitetura básica

0
51
Protocolo MQTT: Fundamentos de sua arquitetura básica

Introdução ao MQTT (Message Queuing Telemetry Transport): Exploração detalhada dos fundamentos e da arquitetura básica do protocolo MQTT.

O que é MQTT?

O MQTT (Message Queuing Telemetry Transport) é um protocolo de mensagens leve e eficiente, projetado para conectar dispositivos de Internet das Coisas (IoT) e permitir a comunicação entre eles. Ele foi desenvolvido pela IBM em 1999 e rapidamente se tornou um padrão aberto e amplamente adotado na indústria. O protocolo MQTT é conhecido por sua simplicidade, baixo consumo de energia e capacidade de lidar com redes de baixa largura de banda e alta latência.

História e evolução do MQTT

O protocolo MQTT foi originalmente desenvolvido pela IBM como parte de um projeto para monitorar oleodutos de petróleo e gás usando redes de satélite. Foi projetado para ser leve e eficiente, permitindo que as mensagens fossem enviadas em um formato compacto, economizando largura de banda e energia. Em 2013, o protocolo foi finalmente publicado como um padrão aberto pela OASIS (Organization for the Advancement of Structured Information Standards) e, desde então, tem sido amplamente adotado em aplicações de IoT.

Funcionamento básico do MQTT

O protocolo MQTT opera no modelo publish/subscribe, onde os dispositivos podem publicar mensagens em um tópico e os interessados em receber essas mensagens podem se inscrever nesse tópico. Quando uma mensagem é publicada em um tópico, todos os dispositivos inscritos nesse tópico receberão a mensagem. Isso permite que os dispositivos se comuniquem de forma assíncrona, sem a necessidade de conexões diretas entre eles. O MQTT também suporta diferentes níveis de qualidade de serviço (QoS), que determinam o grau de confiabilidade da entrega das mensagens.

MQ-7251M – Módulo Ethernet MQTT, MODBUS TCP, 16 Entradas Digital

Protocolo MQTT: Fundamentos de sua arquitetura básica

Características e vantagens do MQTT

O protocolo MQTT apresenta várias características e vantagens que o tornam uma escolha popular para aplicações de IoT. Algumas das principais características do MQTT incluem:

  • Leveza: o protocolo é projetado para ser leve e eficiente, com um cabeçalho mínimo e tamanho compacto das mensagens, o que o torna adequado para dispositivos de IoT com recursos limitados.
  • Baixo consumo de energia: o MQTT é otimizado para reduzir o consumo de energia dos dispositivos, permitindo que eles permaneçam em um estado de baixo consumo de energia até que uma mensagem relevante seja recebida.
  • Confiabilidade: o MQTT oferece diferentes níveis de qualidade de serviço (QoS), permitindo que os desenvolvedores ajustem a confiabilidade da entrega das mensagens com base em suas necessidades específicas.
  • Escalabilidade: o MQTT suporta um grande número de assinantes e editores, permitindo que um grande número de dispositivos se comuniquem de forma eficiente e escalável.
  • Fácil integração: o MQTT pode ser facilmente integrado a diferentes plataformas e linguagens de programação, tornando-o uma escolha flexível para desenvolvedores.

Arquitetura básica do protocolo MQTT

A arquitetura básica do protocolo MQTT consiste em três componentes principais: o cliente MQTT, o broker MQTT e os tópicos. O cliente MQTT é o dispositivo que envia e recebe mensagens, enquanto o broker MQTT é o intermediário responsável por receber as mensagens e encaminhá-las para os dispositivos inscritos nos tópicos relevantes. Os tópicos são canais virtuais aos quais os dispositivos podem se inscrever para receber mensagens relacionadas a um determinado assunto. Essa arquitetura permite que os dispositivos de IoT se comuniquem de forma assíncrona e desacoplada, facilitando a escalabilidade e a flexibilidade do sistema.

Tópicos e modelo publish/subscribe

O modelo publish/subscribe é uma abordagem de comunicação em que os dispositivos podem publicar mensagens em tópicos e os interessados em receber essas mensagens podem se inscrever nesses tópicos. Os tópicos são canais virtuais que agrupam mensagens relacionadas a um determinado assunto. Quando uma mensagem é publicada em um tópico, todos os dispositivos inscritos nesse tópico receberão a mensagem. Isso permite que os dispositivos se comuniquem de forma assíncrona, sem a necessidade de conexões diretas entre eles. O modelo publish/subscribe é amplamente utilizado em sistemas de IoT devido à sua flexibilidade e escalabilidade.

QoS (Quality of Service)

O protocolo MQTT oferece diferentes níveis de qualidade de serviço (QoS) que determinam o grau de confiabilidade da entrega das mensagens. Existem três níveis de QoS no protocolo MQTT:

  • QoS 0: também conhecido como “entrega no máximo uma vez”, é o nível de QoS mais simples. Nesse nível, as mensagens são entregues pelo broker no momento em que são recebidas, sem garantia de entrega ou retransmissão.
  • QoS 1: também conhecido como “entrega pelo menos uma vez”, é um nível de QoS intermediário. Nesse nível, as mensagens são entregues pelo broker pelo menos uma vez, podendo ocorrer duplicações no processo.
  • QoS 2: também conhecido como “entrega exatamente uma vez”, é o nível de QoS mais confiável. Nesse nível, as mensagens são entregues pelo broker exatamente uma vez, garantindo que não ocorram duplicações.

A escolha do nível de QoS depende da aplicação específica e das necessidades de confiabilidade da entrega das mensagens.

Comandos básicos MQTT

O protocolo MQTT define alguns comandos básicos para permitir que os dispositivos se comuniquem e interajam com o broker MQTT. Alguns dos comandos mais comuns no MQTT incluem:

  • CONNECT: usado pelo cliente MQTT para se conectar ao broker MQTT.
  • PUBLISH: usado pelo cliente MQTT para publicar uma mensagem em um tópico.
  • SUBSCRIBE: usado pelo cliente MQTT para se inscrever em um tópico e receber mensagens relacionadas a esse tópico.
  • UNSUBSCRIBE: usado pelo cliente MQTT para cancelar a inscrição em um tópico e parar de receber mensagens relacionadas a esse tópico.
  • DISCONNECT: usado pelo cliente MQTT para desconectar do broker MQTT.

Esses comandos fornecem a base para a comunicação entre os dispositivos e o broker MQTT.

Implementações do MQTT

O protocolo MQTT é um protocolo aberto e existem várias implementações disponíveis para diferentes plataformas e linguagens de programação. Algumas das implementações mais populares do MQTT incluem:

  • Eclipse Mosquitto: uma implementação de código aberto do MQTT desenvolvida pela Fundação Eclipse.
  • HiveMQ: uma plataforma de mensagens MQTT de alto desempenho e escalabilidade.
  • Eclipse Paho: uma implementação de código aberto do MQTT desenvolvida pela Fundação Eclipse, disponível em várias linguagens de programação, como Java, C/C++, Python, etc.
  • AWS IoT: a plataforma de IoT da Amazon que oferece suporte ao MQTT como um dos protocolos de comunicação.

Essas implementações fornecem diferentes recursos e funcionalidades para facilitar o uso do MQTT em diferentes sistemas e ambientes.

ET-2224 – Módulo Ethernet Modbus TCP/UDP, MQTT com 4 Canais Saída Analógica e 2 Ethernet Switch

Protocolo MQTT: Fundamentos de sua arquitetura básica

Exemplos de uso do MQTT

O MQTT é amplamente utilizado em uma variedade de aplicações de IoT. Alguns exemplos de uso do MQTT incluem:

  • Monitoramento de sensores: o MQTT é frequentemente usado para monitorar sensores em tempo real e transmitir os dados coletados para um servidor ou nuvem para análise e processamento.
  • Controle de dispositivos: o MQTT pode ser usado para controlar dispositivos remotamente, permitindo que eles sejam ligados, desligados ou ajustados de acordo com comandos enviados por outros dispositivos.
  • Sistemas de telemetria: o MQTT pode ser usado para enviar dados de telemetria de veículos, como velocidade, localização e status do motor, para um servidor central para monitoramento e análise em tempo real.
  • Automatização residencial: o MQTT é amplamente utilizado em sistemas de automatização residencial, permitindo que os usuários controlem dispositivos como lâmpadas, termostatos e câmeras de segurança de forma remota.

Esses são apenas alguns exemplos de como o protocolo MQTT pode ser usado em aplicações de IoT. Sua flexibilidade e escalabilidade o tornam uma escolha popular para desenvolvedores que desejam construir sistemas de IoT eficientes e confiáveis.

Conclusão

O protocolo MQTT é um protocolo de mensagens leve e eficiente projetado para aplicações de IoT. Sua simplicidade, baixo consumo de energia e capacidade de lidar com redes de baixa largura de banda e alta latência o tornam uma escolha popular para desenvolvedores de IoT. Com sua arquitetura básica e modelo publish/subscribe, o protocolo MQTT permite a comunicação assíncrona e desacoplada entre dispositivos, facilitando a escalabilidade e a flexibilidade do sistema. Com diferentes níveis de qualidade de serviço (QoS) e uma variedade de implementações disponíveis, o MQTT é adequado para uma variedade de casos de uso em aplicações de IoT.

Agradecimento

Esperamos que você tenha gostado deste artigo.

Se você ficou com alguma dúvida ou quer saber mais sobre esse assunto, deixe um comentário no nosso blog ou no nosso fórum de discussões.

Nossa engenharia terá o maior prazer em responder ao seu e-mail as suas perguntas e ajudá-lo a entender melhor esse tema.

Também gostaríamos de saber a sua opinião sobre este texto. Você o achou informativo, didático e envolvente? Você aprendeu algo novo com ele? Você tem alguma sugestão de melhoria ou de outro tópico que você gostaria de ver no nosso blog?

Sua participação é muito importante para nós, pois nos ajuda a melhorar a qualidade dos nossos conteúdos e a atender as suas necessidades e expectativas. Por isso, não deixe de nos enviar o seu feedback.

Agradecemos pela sua leitura e esperamos vê-lo novamente em breve no nosso blog. Até a próxima! 😊

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui